O hábito de tomar um cafezinho no desjejum, no meio da tarde ou logo após as refeições já é automático para muita gente. Quando pedimos um bom café em um restaurante também raramente pensamos em como surgiu o gosto pela bebida, sua trajetória pelo mundo e até sua importância econômica e cultural para a civilização. Se você já teve curiosidade de saber como este hábito surgiu, puxe uma cadeira e passe aquele cafezinho, que nós vamos te contar.

Essa história começa com um pastor de cabras na Etiópia, que por um simples acaso foi o grande responsável por descobrir o consumo do café. Segundo a Lenda de Kaldi, registrada em manuscritos no ano de 575 d.C, o pastor notou que os animais agiam de forma diferente quando consumiam as plantas da região. As cabras ficavam mais alegres e cheias de energia depois de mastigar os frutos e folhas dos arbustos dos campos.

Veja também:
Cafeterias com desconto ChefsClub em São Paulo
Cafeterias com desconto ChefsClub no Rio de Janeiro
Cafeterias com desconto ChefsClub em Recife e região

O pastor teve, então, a ajuda de um monge, que experimentou preparar uma infusão com as plantas e frutos, e comprovou as propriedades das plantas. Lenda ou não, registros históricos indicam que foi nesta época que a exploração de diferentes possibilidades de consumo do café começou a se difundir. Neste período, os etíopes ingeriam a polpa do fruto, macerada ou misturada no alimento. As folhas também eram mastigadas ou preparadas em infusão, como chá. Ou então eram usadas na produção de um suco fermentado, que se transformava em bebida alcoólica.

Disseminação do café

Os árabes logo dominaram a técnica de plantio e preparação da bebida, que naquele momento recebeu o nome de Kahwah ou Cahue, que significa “força” em árabe. Registros indicam o Iêmen como a primeira região a receber as sementes, onde se utilizava a infusão para fins medicinais e onde os monges começavam a utilizar o café como bebida para mantê-los alertas durantes as vigílias noturnas.

Somente no século XIV a bebida tomou a forma e o gosto como conhecemos hoje, após o processo de torrefação ajudar na sua popularização. O hábito de apreciar o café e tomá-lo em casa ou em lugares coletivos se popularizou a partir de 1450. A Turquia foi a responsável por transformar o ato de tomar café em um ritual de sociabilidade: foi lá que surgiu a primeira cafeteria do mundo, a Kiva Han, por volta de 1475.

Leia mais:
Petit Gateau, o erro mais certo da história!
Chocolate: conheça os 5 passeios imperdíveis para chocólatras
A origem do croissant, o pão folhado mais amado do mundo

Chegada do café ao Ocidente

Quando chegou à Europa Ocidental, o café enfrentou a resistência de lideranças religiosas, que consideravam a bebida herege, e também de produtores de vinho e queijo, por acreditarem que ele representaria uma forte concorrência a seus produtos. Mas artistas e intelectuais tomavam cada vez mais gosto pelo café e, conforme o Iluminismo e a Revolução Francesa ganhavam forma, as cafeterias se propagavam, juntamente com os ideais que transformariam o período.

Segundo conta a história, a primeira muda de café veio para o Brasil em 1727, trazida pelo bandeirante a serviço da Coroa Portuguesa, Francisco de Melo Palhete. A partir do século XIX e do início do século XX, ele passou a ser o principal produto de exportação do país. Atualmente, o Brasil é um dos principais produtores e exportadores do café do mundo.

 

 

 

 

 

Comments

comments